31 de jul de 2012

Racismo contra a judoca brasileira


Rafaela Silva foi vítima de racismo no Twitter

Ministro Aldo Rebelo pedirá que PF investigue denúncia de racismo contra a judoca brasileira

 Atualizado:31/07/12 - 9h42


A judoca brasileira Rafaela Silva parece não acreditar ao ser desclassificada Foto: Ivo Gonzalez
Foto o Globo
Imagem do celular de Rafaela Silva com mensagens racistas Foto: Ary Cunha


ONDRES - Das respostas intempestivas a comentários agressivos que recebeu pelo Twitter, após ser eliminada da competição de judô dos Jogos de Londres, Rafaela Silva fez questão de se desculpar. Mas algumas delas ainda lhe doem bastante, a ponto de ela não segurar as lágrimas hoje de manhã, no Excel Centre, onde assistia às lutas de Leandro Guilheiro e Mariana Silva. Rafaela foi vítima de racismo e o GLOBO teve acesso às acusações que lhe foram enviadas pelo Twitter, dizendo que "lugar de macaca é na jaula" e que "vc não é melhor do que ninguém porque você é NEGRA".
O racismo pelo Twitter vai virar caso de polícia. O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, disse que vai determinar à Polícia Federal que investigue o caso.
- Racismo é uma questão de Justiça. É uma indignidade onde não foi apenas a atleta que foi desrespeitada. É um desrespeito ao povo brasileiro. A PF vai entrar no caso pois estamos falando de um ser humano que além de representar seu país recebe bolsa-atleta - disse Aldo, que soube do caso pelo GLOBO.
O ministro contou que esteve com ela na segunda-feira depois da eliminação. E tratou de estimular a atleta, que considera ter um enorme potencial para disputar medalhas nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.
- Rafaela é uma moça muito jovem. Tenho enorme carinho por ela. Sem contar que é um exemplo de esforço e dedicação que soube superar adversidades na vida. Após a luta eu a abracei e a consolei. Reforcei a conmfiança que temos no talento dela. E disse que o governo vai continuar a apoiá-la com o bolsa-atleta.



Rafaela Silva: 
a nossa 
MENINA DA CIDADE DE DEUS  
Rio de Janeiro/RJ



RIO - Não bastasse a frustração de ser desclassificada na competição do peso leve após um golpe irregular, a judoca Rafaela Silva acabou se envolvendo numa discussão no Twitter com uma internauta que lhe escreveu grosserias. A atleta brasileira não mediu palavras e respondeu com muitos palavrões na rede social.
"Vai se f... filho da p... Perdi, sim, sou humana como todos. Errei e sei que tenho capacidade de chegar e conquistar uma vaga para 2016", disse Rafaela, para em seguida emendar: "Você já não tem o que fazer e fica falando merda por aí. Tenha capacidade, conquiste uma vaga nas Olimpíadas e depois a gente conversa."
Mais tarde Rafaela procurou a direção da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para se desculpar. O diretor técnico Ney Wilson teve com ela uma conversa franca. A atleta não vai ser punida. Ela está arrependida e contou que abriu a internet e viu as provocações de que tinha sido alvo. Ainda no calor da luta recém-terminada, acabou respondendo.
- Eu deveria ter ignorado, mas estava de cabeça quente. Quero pedir desculpas a todos - disse.
Ney Wison conversou com a judoca, explicou que ela ainda é muito jovem, tem compromisso com os patrocinadores e que se envolver nesse tipo de polêmica só pode prejudicá-la.
- Ela recebeu 800 elogios. Não pode se incomodar com uma única crítica. Ela errou e foi a primeira a reconhecer isso, Não vimos como indisciplina, mas como um desabafo que não deveria ter acontecido.
A direção do CBJ já havia recomendado aos seus atletas que evitassem a redes sociais para não perderem a concentração e o foco nas lutas.


Crítica e provocação
No post no Twitter que provocou a ira de Rafaela o texto dizia que a judoca passou "anos se preparando para ser eliminada por uma burrice dessas" e merecia "voltar nadando de lá". A internauta continuou criticando Rafaela, que reagiu com mais alguns desaforos. Desde então, a conta da atleta só pode ser lida com sua autorização.
"Babaca filha da p... Vai caçar o que fazer do que ficar com inveja dos outros e falando basteira. Vai lavar uma louça, já que não tem o que fazer".
A judoca também respondeu outra crítica, questionando o dinheiro gasto pelo Brasil na sua preparação.

Revelada num dos núcleos do Instituto Reação, do ex-judoca Flávio Canto e do mestre Geraldo Bernardes, a menina da Cidade de Deus, de apenas 20 anos, é a terceira no ranking mundial e promete voltar ainda mais forte na Rio-2016.

“Pelo menos o Brasil gasta dinheiro comigo e sei que sou muito mais útil do que você. Tenho medalha de ouro no Mundial 2008 e prata em 2011, e você?”, respondeu à crítica.


Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/olimpiadas2012/apos-eliminacao-por-golpe-ilegal-rafaela-silva-reage-com-palavroes-provocacao-no-twitter-5629372#ixzz22Coma0iH

Um comentário:

  1. A violência do preconceito racial do personagem Adelaide do Programa Zorra Total, Rede Globo do ator Rodrigo Sant'Annat o para a Globo e os judeus é engraçado mas é desgraça para nós negros afros indígenas descendentes, se nossas crianças não tivessem sendo chamadas de adelaidinha ou filha, neta e sobrinha da ADELAIDE no pior dos sentidos, é BULLIYING infeliz e cruel criado nos laboratórios racistas do PROJAC (abreviatura de Projeto Jacarepaguá, como é conhecida a Central Globo de Produção) é o centro de produção da Rede Globo que é dominado pelos judeus Arnaldo Jabor, Luciano Huck, Tiago Leifert ,Pedro Bial , William Waack, William Bonner, Mônica Waldvogel, Sandra Annenberg Wolf Maya, Daniel Filho e o poderoso Ali Kamel diretor chefe responsável e autor do livro best seller o manual segregador (A Bíblia do racismo, que ironicamente tem por titulo NÃO SOMOS RACISTA baseado e num monte de inverdades e teses racistas contra os negros afro-decendentes brasileiros) e por Maurício Sherman Nisenbaum(que Grande Otelo,Jamelão e LuisCarlos da Vila chamavam o de racista)responsável dirige o humorístico Zorra Total Foi o responsável pela criação do programa e dos programas infantis apresentados por Xuxa e Angélica, apresentadoras descobertas e lançadas por ele. Isto esta ocorrendo em todo lugar do Brasil para nós não tem graça, esta desgraça de Humor, que humilha crianças é desumano para qualquer sexo, cor, raça, religião, nacionalidade etc. Cruéis o pior de tudo esta degradação racista constrangedora é patrocinada e apoiada por o Sr Ali KAMEL (marido da judia Patrícia Kogut jornalista do GLOBO que liderou dezenas de judeus artistas intelectuais e empresários dos 113 nomes [Contra as contra as cotas raciais )com o Senador Demóstenes Torres que foi cassado por corrupção) o atual diretor responsável da CGJ, Central Globo de Jornalismo, da TV Globo esta mesma que faz anuncio constante do programa CRIANÇA ESPERANÇA e comete o Genocídio racista e imoral contra a maior p arte do povo brasileiro, é lamentável que os judeus se divirtam com humor e debochem do verdadeiro holocausto afro-indigena brasileiro, É LAMENTAVEL que o Judeu Sergio Groisman em seu Programa Altas Horas, assim como no Programa Encontro com a judia Fátima Bernardes riem e se divertem ( a atriz judia Samantha Schmütz em papel de criança da Zorra Total no apoteótico deste estereótipo desleal e perverso )para nós negros afros brasileiros a Rede GLOBO promove incentivo preconceito raciais que humilha e choca o povo brasileiro. Taryk Al Jamahiriya.Afro-indigena brasileira da ONNQ 20/11/1970 -REQBRA Revolução Quilombolivariana do Brasil.

    ResponderExcluir