14 de ago de 2016

FELIZ DIA DOS PAIS...

Um bom dia dos pais para nós é quando estamos juntos. Quando somos irmãos sem restrições, limites e rancores, quando as mazelas do colonialismo não nos corrompe, divide e fragmenta. Quando estamos livres e nossa luta é o que nos une. Assim construímos o Projeto Político do Povo Negro para o Brasil.

30 de jul de 2016

Encontro Sul - Sudeste Brasil

Companheiro Haroldo (MNU/RJ) -Membro Coordenação Nacional de Formação discursando sobre a  Conjuntura Nacional e Internacional sob atenção da mesa e dos presentes.

Momento de renovar as energias.

26 de jul de 2016

ENCONTRO REGIONAL SUL / SUDESTE DO MNU - 30 E 31/07/2015



Neste momento de crise ética e política, há ainda, inúmeros desafios no horizonte, mesmo após 38 anos de luta é necessário reivindicar o resgate histórico de Acotirene, Zumbi dos Palmares e dos Quilombolas como uma contribuição decisiva para trabalhar a auto-estima do povo brasileiro e reafirmar a contribuição cultural dos povos africanos, fundamental num país de maioria negra, para assim podermos entender o passado, trabalhar o presente e projetar o futuro.
O Movimento Negro Unificado - MNU, ao longo destes anos, se constituiu como organização política de articulação e defesa dos interesses das negras e dos negros no Brasil, tendo como luta prioritária o de REPARAÇÕES AO POVO NEGRO, atuando no combate ao racismo, na luta pela superação das desigualdades que atingem os descendentes de africanos, posicionando-se sempre de forma autônoma, denunciando os ardis da sociedade racista brasileira e agindo de forma propositiva nos debates com variados setores da sociedade.
Os Dirigentes Estaduais do MNU Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul, em diálogo permanente com seus militantes entenderam a necessidade de um intercâmbio de informações e análise conjunta das vicissitudes do momento atual que as Plenárias Estaduais não poderiam suprir, optando pela realização de um ENCONTRO onde pudessem reunir um grande número de filiados e ativistas da instituição de diferentes municípios e seções da entidade, razão pela qual se tornou imperiosa a convocação do Encontro Regional Sul Sudeste.
A integração e socialização entre os filiados de uma organização como o MNU é importante diante dos principais acontecimentos políticos que drasticamente reduziram os programas governamentais e extinguiram inúmeras políticas públicas em execução sob o argumento de redução dos gastos governamentais. Essas mudanças também ameaçam nossa frágil Democracia, ainda em construção.
O Projeto Político para Povo Negro que é a principal bandeira de luta do Movimento Negro Unificado e, para se consolidar e ampliar precisa do fortalecimento e estruturação de suas bases, motivo que justifica um Encontro dentro da perspectiva ora apresentada.


23 de mai de 2016

SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE MILITANTES DO MOVIMENTO NEGRO EM CONSELHOS CONSULTIVOS DURANTE O GOVERNO GOLPISTA DO PRESIDENTE INTERINO.




SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE MILITANTES

 DO MOVIMENTO NEGRO 

EM CONSELHOS

 CONSULTIVOS DURANTE O GOVERNO

 GOLPISTA DO PRESIDENTE INTERINO.



Nós dirigentes nacionais e estaduais do MNU desde a criação da entidade em 1978, durante a Ditadura Militar combatemos o arbítrio, a segregação racial imposta ao povo negro.

O racismo permanente no Brasil é determinado pelos interesses econômicos da oligarquia burguesa brasileira que detém e concentra a maior parte das riquezas produzidas pela classe trabalhadora, onde o povo negro está inserido.

Essa tem sido a tônica da organização da sociedade brasileira cuja classe dominante no Brasil impõe e mantém sua visão de mundo a partir de seus valores eurocêntricos, capitalistas e neocolonialistas.

Assim a ação das entidades do movimento negro tem sido no sentido de construir ações que façam frente a essa situação buscando sua eliminação em busca de melhores condições de vida do povo negro. No entanto, a vitória política temporária do grande capital promovida por esses setores representa os interesses do grande capital financeiro especulativo internacional e das grandes multinacionais organizados em torno da Bancada da Bala, de veículos de comunicação representado pelas organizações Globo, a revista Veja, a Folha de São Paulo e de falsos aliados promoveu desde o dia 17 de abril o maior golpe político do qual se tem notícia no mundo. É algo tão vergonhoso que tem provocado manifestações diárias de protesto e repúdio, não apenas no Brasil como também em outros países frente ao rápido desmonte das instituições democráticas promovidos pelos golpistas que nesse momento utilizam as estruturas de poder para instituir medidas antipopulares que desconstroem vitórias obtidas com muito esforço pelos movimentos sociais.

As denúncias de corrupção cometidas por essa parcela de empresários e figuras políticas importantes foi novamente jogada para “debaixo do tapete”.

O Movimento Negro Unificado se mantém na defesa intransigente de continuidade das ações de combate à corrupção que promova uma limpeza na política brasileira criminalizando principalmente os corruptores encobertos nos grandes conglomerados econômicos.

Os corruptores não querem um Brasil que construa uma alternativa internacional financeira como é o caso do BRIC’S que é uma grande articulação financeira formada pelo Brasil, Rússia, Índia e China que juntos já  possui um grande peso econômico e político que lhe permite desafiar domínio  imposto pelo Fundo Monetário Internacional.

O retorno ainda que temporário desses “vampiros” desorganiza o Estado Brasileiro, pois retoma com força total os princípios neoliberais promovidos pelo latifúndio e agronegócio determinando a impossibilidade do prosseguimento da reforma agrária, do fortalecimento  agricultura familiar e do enfrentamento as resistências à titulação das terras quilombolas.

Repudiamos e lutaremos contra o acirramento e o fortalecimento da repressão policial e o redimensionamento do genocídio da juventude negra através da REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL.

Não queremos e lutaremos contra a homofobia, a violência contra a mulheres, a exploração das terras indígenas e da mão de obra escrava, da exploração dos trabalhadores e trabalhadoras através da precarização do mercado de trabalho, da privatização das empresas públicas, da abertura irrestrita da economia ao capital internacional e a repressão a participação popular e democrática que impossibilitará a efetiva conquista de uma reforma política que atenda os interesses dos setores excluídos e marginalizados.

Por isso defendemos a saída imediata desse governo golpista, pois não é possível dialogar ou ter participação da sociedade civil em um governo que já tem mostrado a que veio.

Nossa ação deve ser nas ruas juntos aos demais movimentos sociais em busca da manutenção de nossas conquistas -fruto dessas lutas, o que permitirá o fortalecimento da luta negra contra o racismo.

Dizemos Não a esse governo RACISTA, MACHISTA, SEXISTA E ANTI-POVO TRABALHADOR. Todas as medidas proposta até agora, são de interesse do capital nacional e internacional, de arrocho aos trabalhadores e tirada de direitos que atinge principalmente o povo negro.
Um governo que não reconhece a diversidade étnica de nosso povo;

Um governo que não reconhece os direitos das mulheres;

Um governo de homens brancos, ricos e envolvidos em atos de corrupção tem que ser combatido;
Um governo que tem como Ministro da Justiça quem defende a tomada das escolas de São Paulo pela Polícia Militar sem mandato judicial,  da forma mais truculenta, que aumentou exponencialmente a repressão e os índices de assassinato de jovens negros no estado de São Paulo,  que diz que a luta e a resistência popular ao golpe são atos de guerrilhas que devem ser combatidos com mão de ferro.

Este governo da REAÇÃO CONSERVADORA E DIREITISTA é um governo inimigo dos setores populares.

Lutamos:

Pelo Retorno da Democracia;

Pela participação de mais negros (as) no governo legítimo da Presidenta Dilma Roussef.

Implementação imediata da Lei 10.639/03 (ensino de História e Cultura Africana e Afro-Brasileira nas escolas);

Pelo Fim do Extermínio da Juventude Negra.

Pelo Fim da Perseguição e Repressão às Religiões de Matrizes Africanas.

Pelo Empoderamento das Mulheres Negras.

Pelo Feriado de 20 de Novembro em Homenagem à Zumbi e Dandara.

Pela Titulação e Apoio as Comunidades Negras Rurais Quilombolas.

Pela Construção do Projeto Político do Povo Negro Para o Brasil.

Por Reparação Histórica e Humanitária ao Povo Negro.

PELA SAÍDA IMEDIATA DAS NEGRAS E NEGROS LUTADORES (as) DOS CONSELHOS CONSULTIVOS ENQUANTO DURAR O GOVERNO GOLPISTA DO PRESIDENTE INTERINO.

NÃO RECONHECEMOS ESTE GOVERNO GOLPISTA.

JÁ TEM LUTA, VAI TER VITÓRIA.

NENHUM PASSO ATRÁS. REAJA Á VIOLÊNCIA RACIAL.

Assinam:

Angela Gomes 
Coordenação de Relações Internacionais – MNU MG.

Marcelo Dias 
Coordenação de Comunicação Nacional - MNU RJ.

Haroldo Antonio 
GT de Formação da Coordenação Nacional - MNU RJ.

Edson Axé
GT LGBT da Coordenação Naciona -MNU PE.

Délio Martins
GT de Comunicação da Coordenação Nacional -MNU RJ.

José Ventura
GT Quilombola da Coordenação Nacional - MNU MG.

MNU Rio de Janeiro.
MNU Minas Gerais
MNU Ceará.
MNU Goiás.
MNU Espírito Santo
MNU Santa Catarina.
MNU Rio Grande do Sul.
MNU Mato Grosso do Sul.




21 de mai de 2016

PC - 60 anos de um ilustre Militante

   
    Com a tarefa de reorganizar o MNU no RJ na década de 80, juntamente com Jurema, Paulo Santos,  Elizabeth Vieira  o nosso ilustre Militante comemora seus 60 anos cheio de vigor ao lado dos amigos e militantes.

Parabéns PC!





















Filiação MMU - Da Gama Cidade Negra


O mais novo filiado MNU Rio de Janeiro - RJ

Da Gama do Cidade Negra

Por ocasião dos 60 anos do PC.















10 de mar de 2016

O M.N.U e a OPERAÇÃO LAVA JATO - Em Defesa Da Democracia e Contra o Golpe


 O M.N.U e a OPERAÇÃO LAVA JATO. 

Em Defesa Da Democracia e Contra o Golpe.

    Após noventa dias da grandiosa Marcha das Mulheres Negras que mobilizou em Brasília cerca de cinquenta mil mulheres, que honraram a memória de nossa líder e fundadora do MNU Lélia González, Dandara, Aqualtune, Luíza Mahin e tantas outras heroínas negras, a direção do MNU, reunida em Salvador, no último fim de semana de fevereiro deliberou tornar público sua posição frente a operação Lava Jato e outras providências:

A elite brasileira sofreu em 2002, sua grande derrota eleitoral, o projeto Democrático e Popular, encabeçado pelos partidos progressistas, elegeram o sindicalista Luiz Inácio Lula da Silva, presidente da República Federativa do Brasil.

Tendo uma trajetória de controle total da sociedade, sustentado por uma aliança, entre setores dos poderes legislativo, judiciário, militar e os principais veículos de comunicação, a elite conservadora excludente e racista por excelência, apostava na incapacidade de governança, de um operário, retirante do nordeste brasileiro, em dirigir o destino desta nação.

Contando com o apoio dos movimentos sociais e setores progressistas, o Brasil, foi aos poucos dando sinais que dias melhores estava por vir e mudar a vida da grande maioria da população do país, majoritariamente afro descendente. Contudo aos poucos a gestão do presidente Lula, na perspectiva de ampliar a sua base de apoio no Congresso na perspectiva da “governabilidade”, buscou articula-se com setores conservadores outrora adversários políticos e inimigos declarado do povo brasileiro, assim em 2005, explode o Mensalão, nome fantasia instituído pela mídia da ação penal 470, constituindo-se como primeiro grande escândalo da era Lula, explorado fortemente pela oposição na esperança de interromperem o projeto Democrático e Popular, cuja mídia fez sua parte no sentido de induzir a população a rejeitar e repudiar o referido projeto.  

Em 2006 o Presidente Lula é reeleito, apesar da campanha ostensiva da mídia e seus aliados conservadores. Vale ressaltar que sabemos o quanto o judiciário colaborou com essa elite ao manipular os processos, não dando direito de defesa aos acusados, implementando a  velha tese da era nazista do “Domínio do Fato” tirando a liberdade de vários cidadãos  de forma no mínimo suspeita,  o tempo dirá, parafraseando Robert Nesta Marley.

Com essa nova aliança de “Governabilidade” o governo do Presidente Lula, implementou políticas que mudou a vida da maioria da população brasileira, as quais podemos citar a Lei 10. 639, que torna obrigatório o ensino da história da África e dos africanos no Brasil, bem como dos negros brasileiro; políticas para as comunidades Quilombolas, apesar da crescente dificuldades do governo em acelerar as titulações destas terras quilombolas; Luz Para Todos; Ciências Sem Fronteiras; Cotas nas Universidades e Prouni;  dentre tantas outras em especial a saída do Brasil do mapa da fome com a retirada de mais de 40 milhões de pessoas da linha da miséria absoluta, em razão do êxito do Bolsa Família.

Não podemos negar que erros foram cometidos, e não foram poucos, contudo tivemos nos últimos treze anos avanços jamais alcançados em toda história deste país. 

Isso para elite é inadmissível.

Para nós do Movimento Negro Unificado, entre os erros destacamos dois; a não democratização dos veículos de comunicação e o Controle externo do Judiciário, setores estes que hoje atuam como verdadeiros instrumentos anti Brasil, pró golpe.

Lula, concluiu seus mandatos elegendo a presidenta Dilma Rousseff, em 2010, entregando o país com uma aprovação de mais de 80% de popularidade.

A Elite já não sabia o que fazer, um operário além de cumprir seus dois mandatos consegue um fato histórico, eleger pela primeira vez uma mulher na presidência do país, derrota fatal da elite conservadora racista e machista.

Em 2014 a presidenta Dilma é reeleita em meio a uma crise internacional, cuja direita brasileira em parceria com o PIG (partido da imprensa golpista), tentam ludibriar o imaginário brasileiro. Inconformado com a derrota o PSDB e seus aliados tentam agora com a operação Lava Jato sob a coordenação de um Juiz federal , radicado em Curitiba aplicar um golpe no país com uma articulação entre setores do STF, MPF. Policia Federal, TSE, PGU.


SOBRE A OPERAÇÃO ACARAJÉ DA POLICIA FEDERAL.


ACARAJÉ : Pão de Alimento. 


REPUDIAMOS fortemente o uso de nosso alimento saboroso e sagrado em uma operação policial que trata de investigação de corrupção.

Acarajé para os nossos ancestrais é um alimento sagrado que se oferece aos Deuses da natureza em momentos de celebração.

Xango, deus da Justiça; Iansã, deusa das tempestades, raios e vulcões que com seus elementos sagrados cubram esta perfídia.

O Acarajé faz parte da nossa cultura, da nossa cidadania, é a nossa pertença.


DEFENDEMOS UMA PROFUNDA LIMPEZA NA POLÍTICA BRASILEIRA CRIMINALIZANDO PRINCIPALMENTE OS CORRUPTORES ENCOBERTOS NOS GRANDES CONGLOMERADOS ECONÔMICOS, QUE MANTÉM PARCELAS DA POPULAÇÃO NA MISÉRIA, EM RAZÃO DOS DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS QUE DEIXAM DE SER INVESTIDOS EM POLÍTICAS COMPENSATÓRIAS E REPARATÓRIAS PARA A GRANDE MASSA EXCLUÍDA QUE É NEGRA.

Nós, enquanto Movimento Negro Unificado, uma das entidades representativa da luta dos negros e negras brasileiras somos a favor da investigação de todos os crimes de corrupção contra o patrimônio público, mas não podemos deixar de expor nossa opinião no momento que percebemos uma armação insustentável desses setores em destruir o país com manobras inaceitáveis a exemplo das investigações seletivas e o constante vazamento de informações que por lei deveria ser sigilosas.

Exigimos uma investigação profunda dos tesoureiros de todos partidos que também receberam dinheiro das empreiteiras, PSDB, PMDB, DEM etc, que não estão presos, que os envolvidos com a Mossack Fonseca sejam investigados, que o senador Aécio Neves, citado por quatro delatores seja investigado, que a operação Zelotes, Furnas, o triplex dos Marinhos em Parati no Rio de Janeiro sejam investigados, exigimos que  as informações sobre os escândalos da FIFA, que envolve a Globo, e seus processos de sonegação sejam investigados, que os 500 quilos de cocaína encontrados no helicóptero dos Parrelas em Minas Gerais sejam investigados.

Por tudo isso, solicitamos do STF, transparência nas investigações e que todos os setores envolvidos em desvios de recursos públicos, em corrupção sejam investigados, sem seletividade como esta sendo hoje.

Está claro para os olhos de todos brasileiros que setores do poder judiciário, polícia federal e ministério público não querem combater a corrupção e sim dar um golpe na nação, incitando o ódio entre os brasileiros e resgatando uma história de golpes como aconteceu na era Vargas e Jango.

Na condição de uma organização que surgiu no ano de 1978 em plena ditadura militar, lutando contra o racismo e pela volta do regime democrático, é inconcebível a manutenção desta sanha golpista.

Reafirmamos nossas reivindicações históricas para a construção de uma sociedade fraterna, inclusiva, sem racismo, sem machismo, sem homofobia, sem extermínio da juventude negra.


1)    PELA APROVAÇÃO IMEDIATA DO  FERIADO NACIONAL EM HOMENAGEM A ZUMBI E DANDARA NO DIA 20 DE NOVEMBRO;


2)    PELA PRESENÇA EFETIVA DE NEGROS E NEGRAS NO PRIMEIRO ESCALÃO DE TODOS OS GOVERNOS;


3)    PELA APROVAÇÃO DE UM PLANO NACIONAL DE COMBATE A LGBTFOBIA E SUA CRIMINALIZAÇÃO.


4)     PELA EFETIVA TITULAÇÃO DAS TERRAS QUILOMBOLAS.


5)     PELO APOIO INCONDICIONAL AS RELIGIÕES DE MATRIZES AFRICANAS.


6)     PELO FIM DAS DIVERSAS FORMAS DE VIOLÊNCIAS CONTRA AS MULHERES NEGRAS;

      
       * PELO FIM DO FEMINICÍDIO DAS MULHERES NEGRAS;


       *PELO EMPODERAMENTO DAS MULHERES NEGRAS.


7)     PELO FIM DO EXTERMÍNIO DA JUVENTUDE NEGRA.


08)   POR REPARAÇÃO HISTÓRICA E HUMANITÁRIA AO POVO NEGRO.

09)   POR DEMOCRACIA E EM DEFESA DO ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO.


 NÃO VAI TER GOLPE.


NÃO VAI TER GOLPE.



 NÃO VAI TER GOLPE!

NÃO VAI TER GOLPE!


6 de mar de 2016

PLENÁRIA ESTADUAL DO MOVIMENTO NEGRO UNIFICADO RJ

Foi Realizada, na sede do Instuto de Pesquisa das Culturas Negra - IPCN, na Av. Mem de Sá, 208 - Centro, Riod e Janeiro/RJ, dia 05/03/2016, sábado, a Plenária Estadual do MOVIMENTO NEGRO UNIFICADO, atendendo a CONVOCAÇÃO da COORDENAÇÃO EXECUTIVA:
A militância respondeu a convocação, onde foram tratados os temas de pauta e outros inerentes a nova investida golpista dos últimos dias. o MNU já está nas ruas para defender o Estado Democrático pelo qual temos lutado há muitas gerações. Não aceitamos a manipulação midiática e a nota oficial da instituição estará em todas as ações das quais participamos.

Algumas imagens registradas por



























































Momento onde foram apresentadas as Novas Filiações ao MNU




























PROTESTO CONTRA O GOLPISMO: VAMOS AS RUAS



















 PÓS PLENÁRIA, ASSIM É O MNU : POLÍTICA, RESPEITO E UNIDADE