25 de jan de 2013

Indignação no Facebook - Alisamento deixa "crianças mais bonitas"


Blog diz que alisamento deixa "crianças mais bonitas" e causa indignação no Facebook


Janaina Garcia
Do UOL, em São Paulo
   
Um post de orientação a mães que querem fazer alisamento no cabelo de seus filhos pequenos "para deixarem as crianças mais bonitas", como alternativa aos que "nascem com cabelos crespos ou rebeldes demais", causou indignação no Facebook, nesta quinta-feira (24), entre internautas que consideraram a publicação racista e preconceituosa.

  •          
 
  • Blog da maternidade causou polêmica entre usuários do Facebook, que viram expressão "preconceituosa"
O texto, intitulado "Minha filha tem o cabelo muito crespo. A partir de qual idade posso alisá-lo?", foi publicado no último dia 16 no blog do Hospital e Maternidade Santa Joana, com três parágrafos, no alto dos quais aparece a foto de uma criança negra com cabelos crespos.
Apesar de estar em um blog identificado como pertencente à maternidade, nenhum profissional da área médica assina o post, que aponta não só uma suposta tendência de comportamento ("com a adesão cada vez maior [das mães, em relação a filhos pequenos] às técnicas de alisamento") como ainda faz um alerta a "alternativas" eventualmente em uso: "O formol não pode ser usado de jeito nenhum de acordo com a regulamentação da Anvisa" [Agência Nacional de Vigilância Sanitária].
O post é concluído com um pedido de "cuidado na hora de levar sua filha ao cabeleireiro" e destaca "opções de escovas que podem ser feitas nas meninas de pouca idade sem causar danos, tais como a Escova de Colágeno, à base de ácido glioxílico, e a escova à base de carbocisteína".
No Facebook, uma fanpage batizada de "O machismo nosso de cada dia" publicou o post do blog da maternidade e teve, até as 18h15, mais de 120 compartilhamentos e uma discussão acalorada nos cometários.
Para parte dos internautas, a expressão "para deixar as crianças mais bonitas" relacionada à adoção do alisamento soou como preconceito e até "adultização" (sic) dos filhos pequenos. Para outros, no entanto, o texto serviu de alerta às mães para que não usem química no cabelo das crianças.

Hospital remove publicação e pede desculpas

Em nota de esclarecimento, a assessoria de imprensa do hospital e maternidade Santa Joana informou que o texto, produzido por uma empresa jornalística terceirizada, não teve por "intenção ofender qualquer pessoa", e sim, "finalidade puramente informativa, com o intuito de orientar as mães no que diz respeito à utilização de produtos químicos em crianças, de acordo com as normas da Anvisa".
A instituição destacou também que "a maioria dos assuntos publicados em nossos canais de comunicação" são advindos de "dúvidas e questionamentos recebidos", ressaltou que "não é adepta a nenhuma forma de preconceito ou racismo", pediu desculpas e concluiu que, "em respeito aos seus pacientes e leitores que se sentiram desconfortáveis com essa publicação", a publicação foi removida.

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/ultimas-noticias/2013/01/24/blog-diz-que-alisamento-deixa-criancas-mais-bonitas-e-causa-indignacao-no-facebook.htm



Hospital ensina a alisar cabelo de criança e é criticado

Maternidade Santa Joana se desculpa por texto em que dizia que fios lisos são 'mais bonitos'
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA
Ativistas que combatem o preconceito racial chamaram de "absurdo" texto publicado ontem no site de uma maternidade com dicas para mães que querem alisar os cabelos crespos da filhas. A postagem foi apagada após críticas nas redes sociais.

Por causa da polêmica, o hospital Santa Joana, localizado no Paraíso, zona sul de São Paulo, retirou a mensagem do ar no fim da tarde e declarou, em nota, que não "foi sua intenção ofender qualquer pessoa".

O texto, com o título "Minha filha tem o cabelo muito crespo. A partir de qual idade posso alisá-lo?", tinha a foto de uma menina negra e estava em um espaço com orientações para os pais.

Um dos trechos afirmava que "algumas mães recorrem a essas alternativas [técnicas de alisamento] para deixarem as crianças mais bonitas". O blog alertava para riscos de produtos químicos e afirmava que "o formol não pode ser usado de jeito nenhum".

Para Douglas Belchior, 34, coordenador da ONG UNEafro, de combate à discriminação dos negros, a publicação "ajuda a alimentar a exigência de uma beleza que não é a brasileira".

Segundo a maternidade, "a maioria dos assuntos publicados surgem de dúvidas e questionamentos recebidos". O conteúdo é escrito por uma empresa terceirizada.

"O hospital perdeu a oportunidade de usar essa pergunta para esclarecer, e não para reafirmar preconceitos", disse Luciete Silva, 40, coordenadora do movimento negro Círculo Palmarino.

Na opinião dela, o blog poderia ensinar às mães como pentear os cabelos sem machucar a cabeça da criança e como cuidar dos fios.

Segundo a ativista -que tem os cabelos crespos, "com muito orgulho"-, é "surpreendente e doentia" a preocupação de um pai ou mãe em modificar as características físicas da filha pequena.

A maternidade também informou na nota que o texto era "puramente informativo", para "orientar as mães no que diz respeito à utilização de produtos químicos em crianças, de acordo com as normas da Anvisa".

Após a repercussão, as referências ao texto também foram excluídas dos perfis da instituição em redes sociais.

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/90485-hospital-ensina-a-alisar-cabelo-de-crianca-e-e-criticado.shtml

24/01/2013 19h33 - Atualizado em 24/01/2013 20h20

Hospital se desculpa por texto sobre alisamento de cabelo de crianças

Santa Joana recebeu críticas nas redes sociais por artigo em blog.
Instituição lamentou 'aborrecimento' e nega preconceito ou racismo.

Do G1 São Paulo

 

Post foi retirado de blog do hospital e maternidade Santa Joana (Foto: Reprodução)

Post foi retirado de blog do hospital e maternidade
Santa Joana (Foto: Reprodução)
 
 
O Hospital e Maternidade Santa Joana, de São Paulo, publicou artigo no blog da instituição a respeito do alisamento de cabelo de crianças. Após críticas nas redes sociais, o texto foi despublicado nesta quinta-feira (24) e a instituição negou preconceito e racismo.

Com o título "Minha filha tem o cabelo muito crespo. A partir de qual idade posso alisá-lo?", o artigo recomendava cuidado com uso de produtos como formol. O texto era ilustrado com a foto de uma menina negra com cabelos encaracolados.

Por meio de sua assessoria de imprensa, o centro médico informou que o texto foi produzido por uma empresa terceirizada e que foi mal interpretado. Por essa razão, segundo a assessoria, foi retirado do site e o hospital divulgou no mesmo blog uma nota de esclarecimentos.
O Grupo Santa Joana mantém, além do hospital e maternidade com mesmo nome, a Pro Matre Paulista na capital paulista, e no Rio de Janeiro, as maternidades Perinatal Laranjeiras e Perinatal Barra.


Continue lendo em:

 http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/01/hospital-se-desculpa-por-texto-sobre-alisamento-de-cabelo-de-criancas.html


Nota de esclarecimento
Confira abaixo a nota divulgada pelo hospital no mesmo blog em que havia sido publicado o post sobre o alisamento:
"Nota de esclarecimento

O Hospital e Maternidade Santa Joana esclarece que não foi de sua intenção ofender qualquer pessoa a partir da postagem do texto sobre alisamento de cabelo em crianças; pelo contrário, a finalidade é puramente informativa, com o intuito de orientar as mães no que diz respeito à utilização de produtos químicos em crianças, de acordo com as normas da Anvisa.

Vale reforçar ainda que a maioria dos assuntos publicados em nossos canais de comunicação surgem de dúvidas e questionamentos recebidos. Além disso, chamamos a atenção para o histórico que o Hospital e Maternidade Santa Joana vem apresentando em 64 anos de história, atuando com competência e respeito no atendimento a seus pacientes, sendo reconhecido como centro de referência nos cuidados com a saúde integral da mulher e do neonato.
A instituição lamenta que tenha causado tal aborrecimento a seus seguidores nas redes sociais e ressalta que não é adepta a nenhuma forma de preconceito ou racismo. Em respeito aos seus pacientes e leitores que se sentiram desconfortáveis com essa publicação, a Instituição removeu o texto de suas redes sociais e pede desculpas pelo mal entendido."

Para ler mais notícias do G1 São Paulo, clique em g1.globo.com/sp. Siga também o G1 São Paulo no Twitter e por RSS.

http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2013/01/hospital-se-desculpa-por-texto-sobre-alisamento-de-cabelo-de-criancas.html



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário