3 de out de 2013

Encontro Movimento Negro e PM: Combate ao Racismo


Reunião objetivando construção de Políticas Públicas para o Combate ao Racismo e Crimes afins na competência da PMERJ-  Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro.




 
     Ocorreu no dia 27/09, na sede do Quartel General da PMERJ, rua Evaristo da Veiga nº 78, 2º andar, reunião objetivando a construção de políticas e colher propostas para o combate ao Racismo e Crimes afins. A reunião representou desdobramento da primeira acontecida na seda da SESEG - Secretaria de Estado de Segurança - no dia 17 de Setembro de 2013, na ocasião representado pelo coronel Ricardo Pacheco Coutinho, Diretoria Geral de Ensino e Instrução - DGEI - sendo sucedido pelo coronel Antonio Carlos Carballo Blanco.

     Presentes na reunião coronel Antonio Carlos Carballo Blanco, coronel Ibis da Silva Pereira, respectivamente Diretor Geral de Ensino e Instrução, e subdiretor; coronel Cesar Tunner, Corregedor Geral da PM; Marcelo Dias, Superintendente da Igualdade Racial do Estado - SEPIR/SAESDH e Presidente da Comissão da Igualdade Racial - OAB//RJ; Sandra Machado, advogada e Vice-Presidente da Comissão da Igualdade Racial -CIR-OAB/RJ; Carlos Alberto Medeiros, ativista social e cientista político; Delio Martins, membro da CIR-OAB/RJ e coordenador do Movimento Negro Unificado- MNU/RJ; José dos Santos Oliveira, membro da CIR-OAB/RJ e Diretor Executivo da CEPERJ; Tatiane Curi, Coordenadora Geral de Ações Institucionais e Comunitária, Superintendência de Prevenção da Subsecretaria de Educação, Valorização e Prevenção SSEVP da Secretaria de Estado de Segurança; Clarissa Lima, professora e psicopedagoga, especialista em relações Étnico-raciais e Educação; Januário Garcia, ativista e fotografo; Rogério Gomes, Secretário Geral da Comissão da Igualdade Racial e assessor SUPIR; Paulo Roberto Diop, ativista social.

     Na abertura, Marcelo Dias saudou a acolhida do coronel Carballo na seda da PMERJ, lembrando que a presente reunião é uma continuidade do encontro ocorrido na sede da SESEG - Secretaria de Estado de Segurança. 

     Considerando a complexa construção de políticas públicas de segurança junto à SESEG, e em especial, a voltada para a competência da PMERJ, sobre Racismo e Crimes afins, foram convidados diversas lideranças do movimento social negro de acordo com a legitimidade e tragetória na luta contra a violência e o racismo. 

      Abordado com ênfase e respeito mútuo o histórico de violência, desrespeito e racismo por parte da PM com relação a comunidade negra, principalmente a juventude negra, ocasião em que se mostrou oportuno a presença do Corregedor da policia militar no debate.

      Lembrou Rogério Gomes que houve uma reunião preliminar com o coronel Carballo na SUPIR, onde o mesmo pontuou a necessidade de estreitar relações com o movimento negro visando acolher nos curso de formação dos policiais militares uma abordagem relativa ao preconceito racial, racismo e intolerância.

        Agradecendo a iniciativa, o coronel Carballo saudou a todos e propôs que fosse feito contato com Superintendência de Eduação da SESEG, Senhora Luciana Patrício, para que o tema fosse integrado na grade do curso de formação dos policiais militares, ressaltou ainda, que tinha trabalhado o tema com o coronel Jorge da Silva,   atualmente professor da UERJ, e ex-secretário de estado.

       O sociólogo Carlos Medeiros informou que outrora, existiram projetos parecidos, entretanto não tiveram continuidade, esclarecimento de foi corroborado por Paulo Roberto Diop.

        O coronel Ibis, ressaltou que a questão do racismo deve ser analisada atraves do vieis mais historico do que pela visão dos Direitos Humanos,  reconhecer assim a contribuição do negro que a história não conta. Na oportunidade Januário lembro que a temática é histórica e cultura lembrando que até 1936 o negro era proibido de trabalhar no serviço público, e que o primeiro emprego na esfera pública para negro foi exatamente na policia.



     O militante do MNU, Delio Martins, interviu propondo que além das medidas de médio e longo prazo implementassem medidas de curto prazo, lembrando a dinâmica do dia a dia como a denunciada recentemente na revista da OAB.

     Após a intervenção de todos os presentes sobre o tema, e ressaltando a proximidade do fim de ano, foi proposto ajuste na grade curricular para ser iniciado nos curso de formação do próximo ano.


  
     Acordado na reunião que no mês da Consciência Negra seja realizada atividade com a participaçao da PMERJ na sede da CFAP ( Centro de Formação da Polícia Militar)

      A próxima reunião foi agendada para o dia 03 de Outubro, às 17:00h na SUPIR-SEASDH com a militância do MN para aprofundamento das propostas.



     

  
             


           





Nenhum comentário:

Postar um comentário