28 de mai de 2011

Conferência Mundial Aberta na Argélia

Minha fala na Conferência Mundial Aberta na Argélia –
 (27 a 29 de Novembro de 2010)

Por Milton Barbosa
Coordenador Nacional de Relações Internacionais do Movimento Negro Unificado.


É uma imensa satisfação estar nesta terra, onde Frantz Fanon escolheu para fazer revolução, nos ensinando que a pátria do revolucionário é o mundo.


Saúdo aos companheiros e companheiras nesta Conferência Mundial Aberta – dos Trabalhadores do Mundo.


Saúdo especialmente aos irmãos e irmãs do Haiti, país que realizou a única revolução vitoriosa de escravos na história da humanidade.


Por isso o imperialismo não aceita que o Haiti se viabilize.


Os haitianos derrotaram o exército imperialista mais poderoso da época. O exército de Napoleão Bonaparte.


Este é o significado do Haiti para a humanidade. Os países desenvolvidos, EUA, Inglaterra, França e outros não engolem esta derrota histórica.


O Haiti é um dos grandes exemplos de como se derrotar as forças capitalistas.


Viva o Haiti e sua revolução anti-escravista.


Não se aceita no Haiti nem mesmo um governo moderado, social democrata, como foi o de Jean Bertland Aristide, vítima de dois golpes de estado. No último em 2004, quando da preparação da Comemoração dos 200 Anos da Libertação do Haiti.


Entregamos à presidente eleita do Brasil, Dilma Roussef, uma carta pela retirada das tropas brasileiras do Haiti.


Leitura da Carta


Li a Carta Proposta para a Conferência da Argélia do Acordo Internacional dos Trabalhadores e acho  de fundamental importância a Luta Contra a Guerra e a Exploração.
Acrescento, que há necessidade de se lutar com a mesma força, contra a chamada Guerra de Baixa Intensidade, realizada pelos países imperialistas contra a juventude negra e pobre em seus países:EUA,Inglaterra, França, que tem a dimensão populacional das guerras convencionais. Inclusive em relação ao Brasil também há como nestes países, um processo de genocídio sobre a juventude negra e pobre.
No Brasil a juventude negra vem desenvolvendo Campanhas contra o extermínio desta juventude.
Violência Policial, Narcotráfico, são formas de eliminação da juventude negra e pobre, que morrem aos milhares a cada ano, jovens estes empurrados para o crime em função do desemprego, dos baixos salários, da desregulamentação do trabalho. Da falta de escolas, hospitais, e moradias decentes.
Doenças que estavam sobre controle, como tuberculose, desnutrição e outras , voltam a matar.
É necessário uma política internacional, revolucionária, organizada, dos povos em luta, contra esta ação nefasta da sociedade capitalista.
Nós, do Movimento Negro no Brasil, estamos definindo novos rumos na luta contra a opressão capitalista.
Estamos construindo a proposta de exigência de Reparação Histórica pelo processo de genocídio  criado e desenvolvido pelas classes capitalistas européias, que se abateu sobre a humanidade.
Genocídio quando da invasão da África, das Américas e da Ásia.
Genocídio na travessia do Atlântico dos africanos e africanas escravisados.
Genocídio no período da escravidão no Brasil e outros países, que explorou, torturou e matou.
Genocídio pós “Abolição da Escravatura” através da exploração racista, que desempregou milhões de pessoas não brancas, que pagou e paga baixos salários, mantendo-os desempregados, subempregados e, vítimas sistemáticas da violência policial racista.


REPARAÇÃO HISTÓRICA, COMO CAMINHO DE CONSTRUÇÃO DE UMA NOVA SOCIEDADE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário